A Educação Básica brasileira e as novas relações entre o Estado e os empresários

Elma Júlia Gonçalves de Carvalho

Resumo


Este artigo apresenta reflexões sobre a redefinição do papel do Estado e de sua lógica administrativa, cujas estratégias envolvem, principalmente, o alargamento da participação da sociedade civil na tomada de decisões e na execução de serviços que anteriormente lhe eram exclusivos, com implicações diretas no campo da educação. No processo de redimensionamento das relações entre o público e o privado, amplia-se cada vez mais a presença de empresários na formulação de políticas e na gestão da educação básica pública brasileira. O modelo de “Arranjos de Desenvolvimento da Educação” (ADE), elaborado pelo movimento empresarial Todos pela Educação e aprovado e normatizado pelo Conselho Nacional de Educação, por meio do Parecer nº 09/2011, configura a estratégia mais recente de ingerência do interesse privado na educação pública.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22420/rde.v11i21.800



Indexada em:

Bibliografia Brasileira de Educação (BBE – CIBEC/INEP/MEC).
Latindex – Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal.
Library of Congress (USA).
Rede RVBI - Rede Virtual de Bibliotecas Congresso Nacional.
SEER - Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (IBICT/MCT).
EDUBASE - Base de Dados em Educação da UNICAMP.
Portal de Periódicos Científicos da CAPES.
CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (México)
Dialnet - BNE/UNIRIOJA/Fundación Dialnet (Espanha)
LivRe! (CIN/CNEN)
Diadorim (Ibict/MCTI)
Fundacao Biblioteca Nacional (RJ);
DOAJ - Directory of Open Access Journals (Dinamarca)
IRESIE - Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IISUE/UNAM-México)