Da lógica do gasto à do custo: financiamento do ensino médio integral

Aliny Cristina Silva Alves, Fabrício Aarão F. de Carvalho

Resumo


 O artigo analisa o financiamento da educação no Brasil com o intuito de revelar a lógica que orientou a política de fundos (Fundef e Fundeb), suas dificuldades e limites para o financiamento do ensino médio em tempo integral de qualidade. O estudo bibliográfico sobre financiamento da educação e a análise das leis n° 9.394/96 (LDB), n° 9.424/96 (Fundef), n°11.494 (Fundeb) revelaram que a lógica do gasto, com a redistribuição de recursos pelo número de matrículas nos níveis de ensino e modalidades na educação básica, desde a implantação da política de fundos, não tem dado conta de ampliar o acesso ao ensino médio em tempo integral nos patamares estabelecidos pelo PNE (Lei n. 13.005/2014) e tampouco o acesso com qualidade. Como alternativa, destaca-se a lógica do custo (CAQI), que prevê os insumos necessários para um ensino médio em tempo integral de qualidade.  


Palavras-chave


Financiamento. Ensino médio. Tempo integral.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.22420/rde.v13i26.1020



Indexada em:

Bibliografia Brasileira de Educação (BBE – CIBEC/INEP/MEC).
Latindex – Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal.
Library of Congress (USA).
Rede RVBI - Rede Virtual de Bibliotecas Congresso Nacional.
SEER - Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (IBICT/MCT).
EDUBASE - Base de Dados em Educação da UNICAMP.
Portal de Periódicos Científicos da CAPES.
CLASE - Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (México)
Dialnet - BNE/UNIRIOJA/Fundación Dialnet (Espanha)
LivRe! (CIN/CNEN)
Diadorim (Ibict/MCTI)
Fundacao Biblioteca Nacional (RJ);
DOAJ - Directory of Open Access Journals (Dinamarca)
IRESIE - Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IISUE/UNAM-México)